Arquivos do Blog

CROSS OF SOULS – THRASH METAL – CRUZ DAS ALMAS/BA

 

Release:

Criada em meados de 2002 na cidade de Cruz das Almas-BA, a Cross of Souls foi formada por 5 amigos que tinham em comum o sentimento forte pelo rock. Com o passar do tempo a banda passou por vários subgêneros até se consolidar como uma banda de Thrash/Death Metal. Até o seu encerramento em 2007, a Cross of Souls estabilizou-se como banda importante no seu cenário e acumulou algumas conquistas como abrir shows para a banda baiana Cobalto e a Finlandesa Sinking; ter um review sobre o seu show (também) na revista nacional Rock Brigade, além de ter sua participação confirmada em vários eventos em sua cidade e regiões circunvizinhas.

No ano de 2013, a banda resolve, oficialmente, retornar as atividades com algumas mudanças em sua formação e suas composições e gravou algumas musicas demos que foram disponibilizadas na internet.

 

Formação:

-Cleydson Fagundes – Vocalista

-Tiago Marques – Guitarra

-Paulo Vínicius – Guitarra

-“Jobs” – Baixo

-Paulo Costa – Bateria

 

Links:

www.facebook.com/Crossofsoulsband

 

Contatos:

tmguitar1@hotmail.com

 

VÍDEO/MUSICA

Anúncios

WAR-HEAD – Thrash Death Metal – Croácia

Release

War-Head é uma banda de Osijek / Croácia de Deathrash (uma combinação de old school thrash e death metal). Banda foi formada em 2002 e gravou sua primeira demo em 2003 e a segundo em 2004, ambos registrados na Checa Hellsound Studio. Depois de vários shows, banda estava pronta para gravar seu álbum completo, intitulado No Signs of Armageddon, com Igor Malecic nos vocais. O material foi masterizado por Colin Davis no Imperial Mastering, EUA. Após esse material auto-lançado (disponível apenas para a região ex-YU), banda com o suporte da Devastation (EUA) sai em uma pequena turnê em 2008 e com Warbringer em uma turnê européia em 2010.

No ano de 2011 a banda lançou o debut oficial “…still no signs of Armageddon” através da Denim and Leather Records do Reino Unido. Material foi gravado por membros da War-Head no Armageddon Studio, Osijek e foi masterizado por Igor “Meister” Malecic na Meisterwerks Production, Zagreb. A capa do álbum apresenta obras de arte por Joe Petagno (Pink Floyd, Led Zeppelin, Motörhead, Marduk, The Black Dahlia Murder, etc.). No ano de 2011 banda também fez uma turnê européia como apoio a Eure Erben (ex-Darkness) e tocou no Rockmaraton Festival, maior Metal / Rock festival ao ar livre da Hungria.

Em 2012 banda fez três turnês européias com Grave Desecrator , Violator, Nervochaos e Minus Blindness, participou na Croácia Wacken Metal Battle, Sarajevo Metal Festival, Metal Fest Croácia, Metal Mania Open Air e Beograd Heavy Metal Festival 2.

Em 2013 a banda fez  sua primeira tour brasileiro muito bem sucedido com Tankard, primeira turnê na parte do Sudeste da Europa com Lothlöryen (BRA) e uma mini-turnê européia com Skeletal Remains.

Em 2014 banda fez mais uma turnê brasileira que durou um mês, incluindo 17 espectáculos com varias bandas brasileiras, incluindo Vulcano, Headhunter DC e Nervochaos.

Em 2014 banda também  lançou seu segundo álbum completo para Miner Records sob o título Imperum Mundi. Lançamento do álbum foi seguido por duas turnês européias uma como headline e outro com Vulcano e Nifelheim.

Para 2015 War-Head já tocou em varios festivais de verão, incluindo Metaldays na Eslovénia. E prepara para o fim desrte ano sua volta a terras brasileiras.

Discografia

Demo 2004

No Signs Of Armageddon – CD – 2008

…Still No Signs Of Armageddon – CD – 2011

Imperium Mundi – CD – 2014

Formação:

Dario – Vocals/Bass

Vladimir – Guitars

Piper – Drums

OFFICIAL LINKS:

www.war-head.net

www.myspace.com/warheadcro

http://www.facebook.com/pages/War-Head/204972196183972

http://www.reverbnation.com/warheaddeathrash

Videos Clipes

OUTLANDERS – Heavy Thrash Metal – São Paulo/SP

Release

Outlanders é uma banda Paulistana de Heavy/Thrash Metal, criada em 2009, com influências em diversas vertentes do Heavy Metal (Judas Priest, Iron Maiden, Overkill, Slayer, Sepultura, Kreator, Tankard, Death).

Formada  inicialmente sob o nome “Hordes of Agression”, como projeto inicial de ser uma banda Cover de ‘KREATOR’, porém com o tempo, a banda preferiu seguir o caminho com músicas autorais. No segundo semestre de 2011 mudou o nome para Outlanders, solidificando-se como uma nova banda no cenário do Metal brasileiro.

Após diversas mudanças em sua formação, apenas o guitarrista Diego Thalhammer e o vocalista Rafael Pardo permaneceram como membros originais da banda.

Em Março de 2013 foi lançado o primeiro CD-EP, intitulado “Kretaceous” contendo 4 músicas. Com composições dos dois membros originais e um ex-integrante da banda, Dennis Christopher.

Mesmo nova, a banda já tem chamado atenção do público e mídia, tendo notas em veículos internacionais (França, EUA, Alemanha) e nacionais, sendo convidada a participar de coletâneas, festivais voltados ao Metal e abrindo shows como das bandas Ratos de Porão, Mukeka de Rato, Harppia, Executer e Andralls, Selvageria e Project 46.

Caracterizando-se por um som Thrash Metal que denota a velha escola, com influência do Heavy, vocais agressivos e rasgados, sem medo de flertar com passagens rápidas e tentar coisas novas sem perder a boa qualidade musical.

SAVE YOUR BEER…THE OUTLANDERS ARE HERE!!!!

Discografia:

“Kretaceous” – CD/EP – 2013

Formação:

Rafael Pardo – Vocals/Vocais
Marcelo Pupo – Guitars/Guitarras
Diego Thalhammer – Guitars and Backing Vocals/Guitarras e Backing Vocals
Diego Rodrigues – Bass and Backing Vocals/ Baixo e Backing Vocals
Danilo Muller – Drums/ Bateria

Paginas:

http://www.outlandersband.com.br/

www.facebook.com/OUTLANDERS.Oficial

Vídeo Clipe

Vídeo Lirics

Vídeo ao Vivo

Fotos:

Manifesto – Hard Core/Metal – Aracaju/SE

Release:

Banda sergipana formada em março de 2014 como cover de Sepultura, realizando apenas um show com a primeira formação.

Iniciando suas composições no mês seguinte e lançando ‘Desalmado’ e ‘Pagando com a dor’ com a nova formação.

Argelio Theodoro (Bateria)
Gabriel Guedes (Baixo e voz)
Filipe Nunes (Voz)
Gustavo Agra (Guitarra base)
Eduardo Santos (Guitarra Solo)
Realizando 9 shows entre Aracaju, Salgado, Itabaiana e Moita Bonita neste ano.

Em 2015 a banda volta aos estúdios para finalizar 6 músicas, totalizando 9. Com seu EP ‘Tantas Mentiras’ prestes a ser lançado, a banda vem divulgando seu som ainda em Sergipe.

Suas letras são voltadas ao cotidiano vivido pelos músicos, problemas sociais, política, morte com um som que vai do metal ao hardcore com influencias em rap e crossover.

Discografia:

Tantas Mentiras – EP – 2015

Formação:

Argelio Theodoro (Bateria)
Gabriel Guedes (Baixo e voz)
Filipe Nunes (Voz)
Gustavo Agra (Guitarra base)
Eduardo Santos (Guitarra Solo)

Paginas:

www.facebook.com/ManifestoMetalxHC

Soundcloud:

Video:

SCHIZOPHRENIA – Thrash Metal – Aracaju/SE

Release

Schizophrenia é uma banda de Thrash Metal, formada em 2014 em Aracaju/Sergipe. Tem como temáticas críticas políticas, sociais e religiosas. Principais influências: Sepultura, Sodom, Slayer entre outras.

A banda possui musicas  próprias que fazem parte de seu primeiro trabalho Demo “Sacred Tyranny”, lançada em 2015, que possui as musicas: Sacred Tyranny, House of Dog, Dooms Day, Some Demon, Plague, Day of Fury, Mask Devil e Terroligion.

 

Discografia: 

Demo “Sacred Tyranny” – 2015

 

Formação

Vocalista/guitarrista: Fagney

Guitarrista: Jones

Baixista: Alisson

Baterista: Wesley

Pagina: www.facebook.com/heresiabayarea

Vídeo:

HOLOCAUSTO URBANO – Crossover – Salvador/BA

Release:

A Holocausto Urbano é banda de Salvador formada no final de 2010 com a proposta de alimentar o movimento underground com fortes protestos contra esse sistema fudido. Utilizando como ferramenta desse grito o bom e velho Punk Rock Hardcore e Thrash Metal.

Em 2013 a banda lançou a demo  “Emergência” e em 2016 estão planejando lançar a a sua segunda demo com musicas trazendo influencias do Thrash Metal junto ao Punk Hard Core fazendo assim um Crossover muito mais raivoso. Crossover

Discografia:

Emergência  2013(Demo)

Formação:

Danilo Assis- vocal

João Assis – Guitarra e vocal

Gilson Batista – Baixo

Marcos Oliveira – Drums

Pagina: www.facebook.com/Holocausto-Urbano-447712795264440

VÍDEO

HUMANA CHAOS – Thrash Death Metal – Catu/BA

HUMANA CHAOS, banda de Thrash Metal da cidade de Catu-BA, formada no final de 2011 por Man (guitarra), Léo Lessa (bateria), Regi (baixo) e Rodrigo Moura (vocal). Com letras que abordam temas e problemas sociais vividos pela humanidade. Seu nome escrito em Latin, significa ‘caos humano’.

Dentre as suas influencias musicais estão grandes nomes como Slayer, Metallica, Sepultura, Six Feet Under, Obituary e Pantera. Apesar de ainda não ter lançado nada oficialmente, a banda possui um single virtual no youtube, que poderá ser ouvido no fim desse release.

Formação:

Man (Guitarra)

Léo Lessa (Bateria)

Regi (Baixo)

Rodrigo Moura (Vocal)

Pagina: www.facebook.com/pages/Humana-Chaos/508529389215431

Video

TRIBAL ENGINE – Heavy Metal – Lagarto/SE

Release

A banda começou em dezembro de 2004 quando Diego Karsvolin convidou Rigger Boffin para formarem uma banda de Heavy Metal, já que em Lagarto cidade natal da banda, não havera uma banda no estilo. Tears of Child foi o primeiro nome da banda. Além dos dois foram convidados Alann Darkmann e Clécio Reis. Como o Heavy Metal requer uma sofisticada composição em guitarras, Rigger Boffin resolveu convidar Fagner Oliveira para o acompanhar nas guitarras. Com o tempo, Clécio saiu da banda por ir trabalhar em uma cidade próxima chamada Aracaju. Dando vaga ao grande amigo da Reinald Alexandria.

Em 2009 a banda mudou o nome para Tribal Engine por sugestão de Rigger Boffin, e no mesmo ano, foram marcados por seus primeiro shows. Em fevereiro de 2010 Fagner Oliveira deixou a banda por motivos pessoais, dando lugar a guitarrista Carlos Enrique.

Em maio de 2010 a banda sofrera outra grande perda, Reinaldo também por motivos pessoais deixou a banda, a banda acabou convidando Clécio reis novamente para os baixos. Em setembro de 2012 banda gravou sua 1a demo virtual First Actus que contem 4 músicas : Until the End, Syndicate of Hate, Tribal Roots e Sudden Anomy.

Em fevereiro de 2013, a vaga de baixista novamente foi aberta e por motivo não amistosos, o baixista e a banda romperam reciprocamente ligações, voltando a ter Alexandria no baixo. Contudo, tempos depois, a banda passou por uma nova reformulação.

Agora a banda conta com o retorna de um grande amigo e musicista Valdson Redbeard e já prepara mais músicas para sua segunda demo. Com muita garra e determinação, o Motor tribal está progredindo a cada dia com força em seus objetivos.

Apenas ouçam as canções tribais vindo…

Tribal Engine é:

Alann Darkman-Voz

Rodrigo Boffin-Guitarras

Valdson Redbeard-Baixo

Diego Karavolin-Bateria

Discografia:

First Actus – Demo

Pagina: https://www.facebook.com/Tribal-Engine-127228780679721/

Vídeo:

CARTAZ OFICIAL DO BOQUEIRÃO ROCK METAL FESTIVAL (edição em comemoração aos 10 anos de festival)

BOQUEIRÃO ROCK METAL FESTIVAL

Evento/Infor: https://www.facebook.com/events/509839079117700/

# HEADHUNTER DC – Maior nome do Death Metal nordestino!!

https://www.youtube.com/watch?v=UgUIZ9N11x8

# KARNE KRUA – Lenda do Hard Core Punk Crossover

https://www.youtube.com/watch?v=c7Y66W1pS4I

# BATRAKIA – Hard Rock Heavy Metal

https://www.youtube.com/watch?v=uv1OFbdDj9w&feature=youtu.be

# OVERDOSE ALCOÓLICA – Rock Alcoólico

http://www.youtube.com/watch?v=NrNm8N1Jw94&feature=youtu.be

# DISRUPT CHRIST – Black Metal

https://www.youtube.com/watch?v=tCO87dIEXoE

# QUINTO DOS INFERNOS – Rock/Metal

https://www.youtube.com/watch?v=CGMus1BTL9c

# VERMIS MORTEM – Old School Black Metal

https://www.youtube.com/watch?v=ihijWSauro0

ENTRADA JÁ DISPONÍVEL NA METALNET LAN HOUSE OU VIA DEPOSITO BANCÁRIO, POR R$ 25,00 ATE O FIM DESTE MÉS DE OUTUBRO.

INTERESSADOS É SO FAZER O DEPOSITO E MANDAR O COMPROVANTE POR E-MAIL ALEM DE GUARDA-LO PARA TROCA NO DIA PELA PULSEIRINHA

BANCO DO BRASIL

AG: 1774-4 – C/C: 155-4

ADAUTO DANTAS SANTOS

 

boqueiraormfest@gmail.com

www.facebook.com/boqueiraofestival

(75) 9966-5520 – 9171-1757 – Adauto Dantas

Cartaz por: Adauto Dantas

ENTREVISTA COM WOSLOM

Imagem

Na faSe final pra a 10° edição do Boqueirão Festival, trazemos pra você uma entrevista com a mais nova revelação do Thrash metal nacional, que ira se apresentar pela 1° vez em terras baianas dentro de 2 dias.

WOSLOM com dois álbuns e duas turnês internacional tem a cada novo trabalho conquistado muitos fans com seu Thrash Metal com pegadas Heavy de qualidades inquestionáveis. Sem mais bla, bla, bla.. confiram o papo como o Rafael Iak…

1.     Saudações amigo Rafael e demais membros da Woslom! Eu tava vendo aqui e o primeiro álbum da banda é “Time to Rise”, mais a banda mesmo foi formada quando e como que foi o inicio?

Fala meu amigo Adauto, então, essa formação vem desde 2009 e costumamos dizer que a banda começou mesmo em 2010, pois antes disso era totalmente um hobby, uma diversão que começou com o Francisco Stanich (baixista) e o Fernando Oster (baterista).

 2.      Antes do “Time to Rise” lançaram alguma demo? Fale sobre ela se lançaram e se não, por que não lançaram?

Lançamos sim, mas como explicado na questão anterior, era algo sem muita pretensão, na verdade, não sabíamos direito onde queríamos chegar, então foi uma fase de aprendizado. Atualmente, pouquíssimas pessoas têm as demos que soltamos.

 3.      O primeiro álbum “Time to Rise” foi lançado de forma independente? Como foram os momentos de composição, gravação e produção desta obra?

Sobre as composições, posso dizer que não foi tão complicado uma vez que já tínhamos boa parte das músicas prontas há um bom tempo, tendo apenas a necessidade de acertar arranjos. Já sobre a gravação e produção, foi um processo mais cansativo e trabalhoso, pois tivemos a mudança de vocalista aos 45 minutos do segundo tempo, o que gerou o retrabalho de gravação dos vocais. Mesmo assim, ficou uma grande obra que nos dá muito orgulho até hoje.

 4.      Apesar de ter sido lançado de forma independente esse álbum consegui fazer muito pela banda e inclusive vocês gravaram dois clipes. Fale um pouco sobre essas conquistas e como que foi feita a divulgação e distribuição deste?

A distribuição nacional foi feita totalmente pela banda e contamos com um selo digital americano que nos auxiliou na distribuição internacional. Essa parceria com certeza foi fruto dos clipes que lançamos, foram trabalhos que nos ajudaram muito a obter um feed back excelente do público e mídia, e abriu muitas portas para que pudéssemos conseguir shows bacanas e espalhar ainda mais nosso som.

Imagem

 5.      Como foi dito acima vocês gravaram 2 clipes, que foram “Time to Rise” e “Mortal Effect”. Como foram os dias de produção e gravação destes vídeos que resultaram em um DVD?

A produção de um vídeo clipe é sempre muito cansativa, demanda muito trabalho e dedicação dos envolvidos, principalmente quando falamos de bandas independentes, onde todo o trabalho de produção passa a ser da banda, ou seja, além de você ter que atuar como artista, tem ainda que produzir a sua ideia, então precisa ser bem planejado afim de evitar problemas.

 6.      Ano passado vocês também realizaram a “Time to Rise European Tour 2012”. Como foram os shows pelo velho mundo esta pela primeira vez tocando fora do pais? O que dizer aos que pensam em sair em shows pelo mundo a fora?

Aconselhamos muito a todas as bandas que tiverem a oportunidade de ir um dia, e sim, foi a nossa primeira vez, por isso contamos com o suporte importantíssimo da On Fire Booking Agency gerenciada pelo Xandão da banda Andralls. Ele também foi o responsável pelo sucesso dessa tour e ficamos muito felizes pelo crescimento do Woslom após  essa fase. Além de ser uma experiência de vida que não tem preço.

 7.      Depois desta jornada no velho mundo a banda voltou e começou a compor para o atual álbum “Evolustruction”. Com a experiência do primeiro como foi os trabalhos para compor, gravação e produzir esse?

O processo de composição para o segundo disco foi um pouco diferente do primeiro, pois teve um dinamismo maior, são músicas que foram surgindo durante a turnê, então podemos dizer que compusemos mais em menos tempo. Eu vejo um disco bem mais maduro e bem produzido, tudo graças a experiência vivida no primeiro.

8.      “Evolustruction” é um trabalho conceitual aonde a banda expõe a idéia de que tudo em nossa vida possui os dois lados, as duas escolhas, o bom e o mal. Poderia fazer um resumo sobre as musicas que compõem esta obra? E resumindo que mensagem a Woslom tenta passar com suas musicas?

Esse novo disco aborda críticas clichês, tais como religião, terrorismo, destruição do planeta, ditadura e comportamento humano, mas tudo de uma forma disfarçada, podendo gerar diferentes interpretações, ou seja, é como identificar culpados sem denunciá-los.  Eu particularmente gosto de escrever sobre coisas que desperte inspiração nas pessoas, para que busquem o que almejam. Gosto também de criar contos fictícios que possam ser associados a falhas da humanidade, é uma forma sutil de indireta, que acredito ser o nosso estilo de compor.

 9.      Desta nova obra a banda lançou um bem elaborado e muito elogiado clipe. Como foi o processo de gravação deste vídeo e principalmente trabalhar com uma serpente durante as gravações. Ela deu muito trabalho?

A cobra não deu trabalho algum (rs). Para esse trabalho, vale ressaltar que foi uma parceria do Woslom com a Santo Forte Digital, uma produtora de São Paulo especializada em propagandas para grandes empresas. Graças a eles o processo foi bem mais tranquilo e ficamos muito felizes com o empenho e dedicação de toda equipe.

 Geralmente agente ver bandas nacionais gravando musicas de bandas estrangeiras, mas vocês optaram por gravar um cover do Mad Dragzter, uma banda que lançou apenas dois álbuns (inclusive tenho o primeiro aqui) e que esta voltando atualmente a ativa. Porque? Existiram outras que poderiam ter sido homenageada?

Esse é um projeto que iniciamos há algum tempo onde homenageamos bandas nacionais que gostamos. Vale lembrar que antes do Mad Dragzter, fizemos uma versão da música “The Famous Unknown” do Ancesttral e também da música “Circle of Hate” da banda Red Front. Optamos por dar continuidade ao projeto e incluir um cover no nosso disco novo, e o Mad Dragzter é uma banda que além de gostarmos muito, respeitamos demais também, pois a ideia é não se prender a medalhões, e sim, valorizar as bandas daqui. Claro que muitas outras bandas merecem e serão homenageadas, é um projeto que não tem prazo de validade.

Imagem

 10.  Durante Setembro e Outubro deste ano vocês voltaram mais uma vez pra Europa. Como foi desta vez os shows por la?

Desta vez conseguimos ampliar e emendar até a Rússia, realmente foi uma bela turnê para uma banda como nós que conta apenas com dois discos, a receptividade foi maior e isso nos motiva cada vez mais a continuar.

 11.  Atualmente a banda assinou com uma gravadora Europeia para o lançamento dos dois álbuns por la. Nos fale sobre e se existem outras por la e em outros continentes que estão interessadas pela banda?

Sim, finalmente conseguimos um selo europeu, graças a turnê e o novo disco, essa gravadora se interessou pelo nosso trabalho e vai lançar os dois álbuns na Europa.

 12.  No facebook é fácil ver muita gente dizer que apóia a cena nacional e as bandas underground e que amam o Rock/Metal, mais a real é bem diferente. Qual a sua opinião sobre isso e o que dizer para esses que preferem ficar em casa atrás de um computador ao invés de ir aos shows. Obter os materiais das bandas de sua preferência e ajudar o underground a ser mais forte?

Olha Adauto, eu penso que seja a mesma história das pessoas que acreditam que a felicidade esteja “lá fora” quando na verdade ela está bem debaixo do seu nariz. Quando o pessoal da internet entender que eles podem assistir a shows de qualidade e se divertir com bandas de som autoral nacional, eles além de economizar mais, descobrirão a verdadeira felicidade, mas por enquanto, continuam procurando “em outro lugar”…

 13.  Já conheciam o Boqueirão Festival antes do convite pra se apresentar? O que acham de um evento como esse no interior baiano?

Eu não conhecia e acho sensacional, todo o evento que seja feito com boa vontade e honestidade, deve ser valorizado. A consequência de um trabalho bem feito é não menos que o crescimento.

14.  Sem mais, agradeço a atenção e pra fechar poderia dar uma idéia de como vai ser a apresentação de vocês no festival? Obrigado meu amigo Rafael e ate o dia 14 de dezembro!!

Eu que agradeço a você pelo espaço concedido e aproveito pra convidar a todos os Headbangers da região para comparecerem nesse grande evento pra “bater-cabeça” com todas as bandas do cast. Com certeza o pessoal pode esperar muita energia e fúria em cima do palco, nos vemos lá!

Imagem

%d blogueiros gostam disto: