Arquivo mensal: outubro 2013

ENTREVISTA COM PASTEL DE MIOLOS

Imagem

Temos aqui uma entrevista com a banda PASTEL DE MIOLOS (Punk Rock Hard Core), formada por Alisson PDM (Guitarra/Vocal), André PDM (Baixo/Vocal) e Wilson PDM (Bateria). A banda possui vários lançamentos e o mais recente que foi lançado a poucas semanas foi o Tributo ao pastel de Miolos e em breve saindo um Split, que ja se tornou um FourSplit. A banda também se prepara pra produzir o seu novo álbum, que vai se chamar “Novas Ideias, Velhos Ideais”. A banda estará presente na 10° edição do BOQUEIRÃO FESTIVAL, com sua turné “Tocando Punk Rock – Final Tour 2013”.  Sem mais bla, bla, bla… fiquem com a entrevista com essa grande banda do cenário nacional!

1 – Olá amigos da Pastel De Miolos, para começar este papo gostaria que se apresentassem aos que ainda não os conhecem, apesar de a PDM já ter 18 anos de estrada e muitos lançamentos…

PDM: A PDM teve origem na cidade de Lauro de Freitas e nós tocávamos um Punk Rock e Hardcore bem tosco, mas sempre criativo, buscamos encontrar uma identidade pro nosso som desde o início, sem tentar imitar ninguém, apesar das diversas influencias. Hoje temos uma pegada cada vez mais pesada e rápida e uma identidade própria, quem escuta nosso som nos reconhece com nossa sonoridade particular.

2.Pastel De Miolos é uma banda com 18 anos de estrada, vocês imaginavam que iriam durar tanto tempo?

PDM: Nunca imaginamos fazer 18 anos. Os anos foram passando na medida em que íamos tocando, fazendo nossas coisas e vivendo nossas vidas, quando vimos nos demos conta de que estamos com 18 anos de banda.

3.Nesses 18 anos quais foram os piores e melhores momentos da carreira? Que conselho dar a quem está começando?

PDM: Houve um momento que pensamos em parar, não surgiam shows, nem músicas novas, nem projetos interessantes… Aí as coisas começaram a mudar quando surgiram algumas músicas novas que começaram a nos empolgar e renovar o som da banda na época, resolvemos promover um show do Nordeste Independente (2007) em Lauro de Freitas e surgiu a ideia de tocarmos em conjunto com um grupo de escritores (Coletivo Corte). Esse foi um momento muito bom logo após uma turbulência. Outro momento muito bom é o momento atual. Um conselho é nunca deixar de viver sua própria vida além da banda, respirar o dia a dia também serve de inspiração pra continuar tocando. Outra coisa importante, procure tocar com seus amigos, afinal, você estará convivendo com essas pessoas quase diariamente.

4.No mês passado (outubro) foi lançado um Tributo ao Pastel De Miolos. Como é receber uma homenagem como essa? Qual a importância e valor disso pra vocês?

PDM: Foi algo que começou de uma maneira descompromissada, mas que tomou uma proporção que nós não esperávamos, então é uma imensa satisfação saber que nosso som chegou a tantas pessoas que fazem um trampo tão bom. Mas antes de ser uma homenagem a PDM eu acredito que é uma homenagem ao rock baiano e a todas as pessoas que vivem na contramão da indústria.

Imagem

5.Também houve um show pra lançamento deste tributo. Como foi esse evento? 

PDM:  Foi uma grande festa que contou com a presença de bandas significativas e emergentes na cena (Theatro de Séraphin e Latryna), além da Snooze de Aracaju, com a participação do guitarrista Alexandre Gandhi (KarneKrua), e a PDM com a participação nos vocais de vários amigos e parceiros, então foi uma grande festa.

6.A banda também se encontra em Turnê pelo pais e me parece que existem planos de shows por países vizinhos… Como tem sido essa turnê e os shows? Algum a ser destacado?

PDM: Não consigo destacar um específico, todos tem sido muito bons. Teve o Porão do Rock com Suicidal Tendencies, Leptospirose, Galinha Preta e outros, teve nossa volta ao subúrbio soteropolitano depois de vários anos, o lançamento do tributo, e pela frente, show com Matanza em Itabuna, shows com várias bandas amigas no Ceará e fechar o ano em grande estilo no Boqueirão Festival. Sobre tocar fora, estamos querendo dar um pulo lá em Buenos Aires e Santiago, mas ainda estamos organizando isso.

7.Mim parece que este Tributo já ta se esgotando… Como foi a produção e seleção das bandas pra esse Tributo? Vocês estiveram envolvidos na produção e demais trabalhos deste?

PDM: A seleção foi feita na medida em que íamos conversando com os amigos e parceiros e outras bandas também iam se convidando, então tudo foi bem natural. Tivemos que nos envolver na produção, pois o que começou com um papo com Tony Lopes tomou um vulto bem maior então tivemos que abraçar o projeto pra que ele acontecesse.

8.O próximo lançamento é um Split com os argentinos da Estamos em Eso, quando vai ser lançado este e por qual gravadora será? Poderia adiantar um pouco sobre o conteúdo desta obra?

PDM: O Split com Estamos EnEso já está se transformando em um FourSplit com mais duas bandas, Riiva, da Finlândia e Agressivos, de Salvador. Sobre a gravadora ainda estamos vendo, mas com certeza a Brechó Discos estará envolvida.

9.Também planejam lançar um novo álbum que se chamara“Novas Ideias, Velhos Ideais”. Sobre este, o que podem nos adiantar?

PDM: Nesse álbum nós vamos apresentar nossa nova sonoridade, com um trampo mais técnico e pesado, mas sem perder a pegada Punk com energia e temas politizados.

10. O momento atual de nosso país serve de inspiração pra suas letras? O que os inspiram a escrever e compor suas musicas?

PDM: Com certeza, sempre houveram motivos pra inspiração, porque sempre houve corrupção, repressão e esculhambação. Então tudo nos inspira. Mas nós abrangemos vários temas, além de questões concretas pensamos em abordagens reflexivas a respeito da vida e das formas de pensar.

11.Nas redes sociais vemos muita gente dizer que gosta de Rock/Metal, mais nos shows a realidade é outra. Qual a sua opinião sobre isso e o que dizer para esses que preferem ficar em casa atrás de um computador ao invés de ir aos shows, obter os materiais das bandas de sua preferência e ajudar o underground a ser mais forte?

PDM: Eu acredito que só se fortalece a cena comparecendo aos shows, pagando as entradas e adquirindo material das bandas(cd, camisa, boné, etc0. É muito fácil ficar em casa só reclamando, mas se privar da experiência do show ao vivo é uma grande besteira.

12.Já conheciam o Boqueirão Festival antes do convite pra se apresentar? O que acham deste evento aqui no agreste/sertão baiano?

PDM: Já tinha ouvido falar e acredito que toda iniciativa é valida quando se tem responsabilidade com o evento e respeito pelas bandas e público. Então espero que o evento seja grandioso!

13.Pra finalizar poderia nos adiantar como vai ser a apresentação de vocês no festival? Sem mais meus agradecimentos e espero um puta show dia 14 de dezembro!!!

PDM: Nosso show vai apresentar músicas novas e músicas velhas com energia e boa execução pra fazer a galera agitar do início ao fim. Obrigado pelas boas perguntas e até lá!

LINKS:

http://pasteldemiolos.tnb.art.br/
http://www.reverbnation.com/pasteldemiolos
http://pasteldemiolos.bandcamp.com/music
http://pasteldemiolos.wordpress.com/discografia/

http://www.youtube.com/user/pasteldemiolos

TRIBUTO AO PASTEL DE MIOLOS:

http://brechdiscos.bandcamp.com/album/tributo-a-pastel-de-miolos

Imagem

Anúncios

ENTREVISTA COM PUTRID SEMEN

Imagem

Trazemos aqui uma entrevista com os brutais amigos da PUTRID SEMEN, uma das mais brutais bandas do nordeste  que se apresentara na 10° edição do BOQUEIRÃO FESTIVAL no dia 14/12/2013. A banda executa um Splatter Gore Death Metal com influencia de grandes nomes como Cannibal Corpse o velho Carcass. Detém em sua discografia as demos “Necrofilia”, “Cadaveres” e planeja pra 2014 o seu debut álbum “Terror e Mutilação”. A banda é formada por Uendel (guitarra e vocal), Adelmo (baixo) e Igo (batera), que foi quem respondeu as perguntas… Degustem ai mais essa entrevista e breve tem mais…

1 – Saudações caro Igo e demais membros da Putrid sêmen! Como se deu o inicio da PutridSemen?

Igo: Fala grind Adauto!!!! Cara, a gente começou como toda banda entre amigos sem pretensão de nada, apenas com com a vontade de fazer barulho e beber.

2 – Como é ter uma banda de Death Metal com temais Gore no interior do estado?

Igo: Nós residimos na cidade tida como a mais “violenta” do Brasil, dessa forma fica super fácil de se encontrar inspiração para compor as letras e sons da banda. Não consideramos Simões Filho interior depois de Lauro de Freitas a região metropolitana mais perto de Salvador é Simões Filho, e mesmo com todo o seu marasmo e “violência” ainda prefiro morar aqui do que em muita beira de barranco em Salvador.

3 – As musicas de vocês são na língua pátria. Qual a importância disso pra vocês?

Igo: Quero deixar bem explicito que apesar de compormos nossas letras em português não somos nacionalistas e nem coisa do tipo, apenas somos realistas, ninguém na banda fala inglês fluentemente, eu vejo muita banda nacional começando já com letras em inglês já pensando no reconhecimento internacional,o norte-americano só compõe em inglês porque é a língua pátria do pais dele, porra se nós podemos comprar um material gringo e nos esforçarmos para traduzir uma letra de uma musica que você acha muito foda, porque o gringo não pode fazer o mesmo??? Caso ele goste do nosso som??? Fica a dica.

4 – As letras refletem seus pensamentos?Me fale sobre elas…

Igo: Nossas letras refletem o que vemos, pensamos e fazemos.

Mais na sua grande maioria falamos muito sobre o que vemos. Gente sendo morta de todas as formas, o pai que estupra a filha, o filho que mata a família toda. O ser humano é capaz de cometer coisas terríveis assim fica fácil de se ter temas variados para compor letras basta ler um jornal local ou assistir os noticiários.

5 – A banda lançou a primeira demos em 2010 com o titulo de “Necrofagia”, como foi na época a divulgação e distribuição desta obra?

Igo: Divulgamos bem pouco esse material, creio eu que pouco mais de 100 bangers devem ter esse material em seu arsenal.

Isso se deu mais por uma questão de grana e falta de apoio até porque de boca todo mundo sabe apoiar agora coragem pra comprar uma simples demo de R$5,00 ninguém tem.

6 – A mais recente obra leva o titulo de “Cadaveres”, como vem sendo a sua distribuição e divulgação. O que esperam alcançar com esta mais recente obra?

Igo: Fizemos pouco mais de 1000 copias dessa demo e ainda temos um montante considerável em mãos, aos poucos e sem pressa vamos espalhando esse câncer por ai . Nossa única pretensão com esse material é propagar o nome Putrid Semen no underground nacional e na gringa até porque hoje temos parceiros que fazem trocas e mandam nosso material no meio.

7 – Eu tenho aqui a “Necrofagia” e também a mais recente “Cadaveres” é nítida a excelente qualidade de gravação desta mais nova obra, superando a anterior, mais me parece que a próxima obra não vai vim com esta mesma qualidade me fale mais sobre e o porque?

Igo: É simples. Grana!!!!! Com o meu outro projeto a Necrobiose Escrotal (Gore Grind) fizemos uma gravação super em conta e fudida pra caralho!!! Para o lançamento do seu 1° debut que vai sair agora em dezembro pelo Grind selo nacional (Rotten Foetus Rec). Gravamos a batera em um estúdio e os demais instrumentos na casa do guitar.

O resultado me deixou pasmo, a gravação ficou muito foda!!!

Foi ai que decidimos fazer o mesmo lance de gravação com a Putrid Semen. Para gravarmos a nossa 2° demo nos desembolsamos R$1100 para gravarmos 4 musicas, ninguém na banda é rico, nessa importância eu tirei da grana de minhas férias R$700 e os caras completaram o resto da quantia. Atualmente nosso baixista ta construindo, meu guitar mora de aluguel e eu to desempregado então foda-se as gravações com os mercenários vamos fazer uma parada de acordo com nossas condições financeiras. Vai ser uma gravação sem mascaras, filtros, maquiagens, sem efeitos… A porra vai ser 666% Death Metal!!! Cru!!! Real!!! Fudido!!!!!

8 – O próximo trabalho é o debut álbum que vai se chamar “Terror e Mutilação”. O que pode nos adiantar sobre esta obra?

Igo: Preparem os tímpanos porque a bagaça vai vir com tudo!!!! Vai ser o lançamento mais importante da banda e de nossas vidas, estamos nos preparando muito para gravarmos e lançarmos esse material até no maximo abril de 2014. O debut vai contar com 11 necrotracks sendo 2 bônus

9 – Nas redes sociais vemos muita gente dizer que gosta de Rock/Metal, mais nos shows a realidade é outra. Qual a sua opinião sobre isso e o que dizer para esses que preferem ficar em casa atrás de um computador ao invés de ir aos shows, obter os materiais das bandas de sua preferência e ajudar o underground ser mais forte?

Igo: Sinceramente??? Eu quero mais é que esses “bangers” de facebook morram de AIDS e câncer terminal !!!! Fodam-se !!!!! O underground não precisa desses vermes, eu prefiro um show “vazio” de publico mas cheio de bangers reais e fudidos que não medem esforços para irem aos eventos e fazem questão de adquirir os materiais suados e ralados das bandas do nosso submundo metálico.

10 – Como tiveram conhecimento do festival e o que podemos esperam da apresentação de vocês no Boqueirão Rock Metal Festival e o que acham deste evento aqui no agreste/sertão baiano?

Igo: Cara eu como banger sei como é difícil fazer eventos

E fico feliz pra caralho de ver o Boqueirão ficando cada vez mais grandioso a cada edição e saber que vamos poder mostrar nosso trabalho em uma de suas edições é muito gratificante, se aqui na capital já é difícil imagina ai no agreste como não deve ser ??? As dificuldades devem ser dobradas, parabéns pelo evento Adauto. Cara… Na boa… A gente vai chegar com tudo !!!! Estamos muito ansiosos para destruirmos tudo em dezembro.

11 – Sem mais obrigado e espero ver um show sangrento na 10° edição do B.R.M.. Deixe suas palavras finais e mensagem ao publico.

Igo: Muito obrigado pelo espaço cara e se preparem porque a porra vai ser foda !!!!!! Um grind abraxxx!!!

Contatos: https://www.facebook.com/putrid.semen.9

Imagem

CARTAZ OFICIAL DO 10° BOQUEIRÃO FESTIVAL

CARTAZ OFICIAL DO 10° BOQUEIRÃO FESTIVAL

Arte por Julio Cesar (Nikkury)

CAST DO FESTIVAL

NERVOCHAOS (Death Metal de São Paulo/SP)

WOSLOM (Thrash Metal de São Paulo/SP

PASTEL DE MIOLOS (Punk Rock /Hard Core de Lauro de Freitas/BA)

THE ENDLESS FALL (Melodic Death Metal de Salvador/BA)

DOYKOD (Thrash Metal de Salvador/BA)

PUTRID SEMEN (Splatter Death Metal de Simões Filho/BA)

EXCLUSOS (Hard Core Punk de Cruz das Almas/BA)

ENTREVISTA COM DOYKOD

Image

Doykod esta de volta e é uma das atrações do 10° Boqueirão festival. Para que possamos saber mais sobre o que os levou a para as atividades, os seus planos pra este retorno e mais detalhes sobre seu único álbum lançado a pouco mais de 10 anos o ate hoje muito comentado “Accept the New Order”, entrevistamos o Erik. Confiram...

1.           Pra começo de conversa me diga como que foi o tempo em que estiveram parados com a DOYKOD  e quis foram os motivos que os levaram a este período de descanso?

Foram muitos os motivos para a banda ter parado, eu saí da banda antes de paralisadas as atividades por completo. O conflito de ideias foi maior motivo para a banda ter “acabado”!

2.           Como foi recrutar os novos membros pra a volta da Doykod?

Eu e Alex somos amigos de infância e sempre tivemos uma afinidade musical muito grande. No tempo em que a Doykod parou, eu fiquei praticamente sem tocar, e isso me deixava inconformado. Então resolvemos, Eu, Alex e Marcelo Bahia (Ex. Helltracks e Pandora) a ensaiar nos fins de semana covers do Sepultura. Dane já era conhecido de Marcelo e então o convidamos também pra participar do cover do Sepultura. Depois de alguns meses ensaiando, naturalmente veio a ideia de voltarmos com a Doykod.

3.           Como é esta voltando com a banda depois de todo esse tempo parado e quais são os planos e projetos pra esta nova jornada?

Agora nosso foco é o “Boqueirão Rock Metal Fest”, e o Palco do Rock 2014, em sequência estamos preparando novas composições para o que virá a ser o novo álbum.

4.           Quais motivos os levaram a escolher o nome Doykod?

Na época o nome foi escolhido devido ao apelo sonoro e político. Muita gente treme só de ouvir esse nome, pois os fantasmas das atrocidades cometidas na ditadura por este órgão da repressão militar ainda vive no subconsciente do povo.

5.           A banda lançou o álbum “Accept the New Order” em 2002, como foi na época a divulgação e distribuição desta obra? Ainda é possível encontra este álbum?

Cara, o lançamento do álbum não poderia ser melhor! Agente tocou com duas das maiores bandas de metal do planeta. Kreator e Destruction, na melhor casa de show que tivemos aqui em Salvador, o Rock in Rio café. Tivemos muitas críticas positivas do álbum em revistas como Road Crew, o material foi para a Europa através da Maniac Records, mas os problemas com a banda começaram logo após o lançamento com a saída de Leandro Mattos (Baterista). Quem tiver interesse em comprar o álbum pode mandar uma e-mail para doykod1@gmail.com ainda temos algumas cópias.

6.           Na época este álbum os levaram a conseguirem boas conquistas no meio underground, me fale sobre estas e como que foi os momentos de composição e gravação deste?

Agente tava num ritmo muito louco. Tínhamos feito uma mini-tour com o Korzus aqui no nordeste e boa parte das músicas já estavam sendo tocadas. HerosTrench e Marcelo Pompeu (Korzus) acabaram apadrinhando nossa banda, fomos gravar no estúdio deles (Mister Som) em São Paulo no período do carnaval, e ficamos 4 dias alojados no estúdio pra gravar tudo.

7.           Poderia comentar cada uma das musicas falando sobre os temas que nelas tratam e de onde tiraram inspiração pra compô-las?

Image

Here do, Here Pay, foi uma alusão que fizemos sobre o nosso ditado “aqui se faz, aqui se paga”, o que fazemos tem consequências, quer queiramos ou não.

1932, conta um pouco sobre a Revolução constitucionalista, uma verdadeira guerra civil que aconteceu no Brasil.

Freedom of Expression, fala justamente sobre a ditadura militar, o AI-5 e sobre a importância da liberdade de expressão.

Sickness Disorder, fala sobre o clima de violência em que estamos vivendo. Essa música foi composta quando ocorreu a primeira greve da PM aqui na Bahia.

Meaning from Fate, é a pura história da colonização, em geral, os ditos “colonizadores” trazem o progresso e todo horror em consequência. Nossa economia é parasitada pois fomos constituídos por parasitas.

No Ground, conta o desespero dos nossos trabalhadores rurais, sem terra, para sobreviver.

Atitude e Ação, a única música em português do álbum e foi uma das mais aceitas pelo público, pois todo mundo quer fazer ou faz parte de um grupo e muitas vezes nos deparamos com “Pajés” que se acham no direito de ditar o que é certo ou errado, o que você deve fazer, como você deve ser, agir.

Backlands Hero, dá uma visão um pouco diferente sobre Lampião, o herói do sertão.

Drought, a primeira música composta por Alex para a Doykod, fala sobre a seca do nordeste que tanto maltrata nossa gente.

8.           No momento a banda esta em período de composição e gravação de seu segundo CD, como que esta sendo e o que vem por ai para os admiradores do trabalho de vcs?

Hoje estamos muito mais maduros e sabemos muito melhor que caminho seguir. As músicas estão fluindo naturalmente e todos estão participando diretamente do processo. Para você ter uma ideia, uma das novas músicas tem riffs de guitarra compostos por Marcelo Bahia (Baterista).

9.           Recentemente foi disponibilizada pra audição a musica “A Fé e a Busca”. Como que foi a resposta do publico para essa musica e o álbum novo pode vim composto por mais musicas em português?

Como disse anteriormente, a música “Atitude e Ação” teve uma aceitação muito grande no Acceptthe new order, então resolvemos adotar nossa língua mãe oficialmente em nossas composições. O álbum vai ser totalmente em Português.

10.        Qual a importância pra vcs de cantarem suas musicas na língua pátria?

Com certeza podemos nos expressar melhor, seremos melhor entendidos também, faço questão de uma ideia direta. Hoje existem muitas bandas de Metal/Hardcore aqui no Brasil, fazendo um som excelente e cantando em Português.

11.        Nas redes sociais vemos muita gente dizer que gosta de Rock/Metal, mais nos shows a realidade é outra. Qual a sua opinião sobre isso e o que dizer para esses que preferem ficar em casa atrás de um computador ao invés de ir aos shows, obter os materiais das bandas de sua preferência e ajudar o underground ser mais forte?

Hoje há uma gama muito grande de entretenimento, e é muito cômodo e muito fácil ficar em casa e ouvir/ver as bandas que gostamos pela internet. Mas a energia de um show, vendo a banda alí na sua frete é outra! Se você gosta das bandas do nosso underground compareçam aos shows deem o seu suporte. Sem público não há show, sem show não há bandas, sem bandas não há o que você ouvir/ver na internet. Você faz parte do underground e o underground precisa de você!

12.        Como tiveram conhecimento do festival e o que podemos esperam da apresentação de vocês no Boqueirão Rock Metal Festival e o que acham deste evento aqui no agreste/sertão baiano?

Conheci o festival pela internet. Sempre via o material de divulgação, as bandas e então após a volta da banda resolvemos que deveríamos tocar nele. Estamos preparando um show com muitas surpresas, se você gosta de thrash-metal então vai sair arrebentado.

13.        Bom é isso por agora. Obrigado e aguardo vocês aqui na 10° edição do B.R.M.. Deixe suas palavras finais e mensagem ao público.

Galera, estamos ansiosos para tocar aí em Cícero Dantas no Boqueirão Rock Metal Fest. Esperamos a casa lotada e iremos dar o máximo no palco, pra que todo mundo bater cabeça do início ao fim!

ESCUTE A PRÉ PRODUÇÃO DE UMA DAS NOVAS COMPOSIÇÕES DA DOYKOD: 

PAGINA DA DOYKOD: https://www.facebook.com/pages/Doykod/143518412461923?fref=ts

ESCUTE ALBUM DO DOYKOD NO MYSPACE: https://myspace.com/doykod


Image

%d blogueiros gostam disto: